Hash: o que é e como utilizar a função

O hash é um dos termos utilizados no mundo cripto e entendê-lo é essencial para operar com criptomoedas!

Ao falar de Bitcoin, muitos conceitos vem a cabeça, como por exemplo, mineração, blockchain e halving.

Porém, você já sabe o que é o hash?

Leia o texto a seguir e entenda o porquê essa técnica pode ser aplicada  diretamente ao blockchain.

Hash: qual o significado para o mundo cripto?

A função refere-se à quantidade de poder de processamento que é emprestado a rede do blockchain para processar um determinado algoritmo.

Assim, para ter uma boa performance em mineração de criptomoedas, é também necessário contar com um grande poder de processamento computacional.

Isso porque, de forma orgânica, os blocos se comunicam e se associam para gerar informações criptografadas, conferindo segurança à rede blockchain.

Proteja as suas senhas com a função

Através do hash, as senhas dos usuários cadastrados nas máquinas utilizadas para mineração não precisam ser armazenadas em sistemas computacionais.

Para poder ter acesso às operações, é necessário abrir o arquivo ou tabela de banco de dados, onde constarão todas as senhas.

Por isso, para saber se o que você digitou no campo password está correto, o sistema calcula o hash da senha informada.

Se ela estiver de acordo com o hash da senha cadastrada, você poderá usar o computador normalmente. 

Caso contrário, o sistema informa que o password digitado é inválido.

Ficou claro o que é a taxa de hash e como proteger as suas senhas?

Continue lendo o nosso conteúdo e entenda mais sobre!

A importância do hash no mundo cripto

Como dito anteriormente, o Hash Rate ou Hash Power, trata-se de uma medição para calcular quanta energia uma criptomoeda consome para continuar a ser funcional.

É possível afirmar isso, pois a rede de Bitcoin consome uma alta energia para resolver cálculos matemáticos, encontrando, assim, novos blocos para mineração.

Durante a mineração, esses cálculos não podem ser resolvidos sem o suporte de bons computadores que possam fazer o trabalho de codificar o bloco, tornando ele menor ou igual ao alvo.

Mas o que seria este alvo?

O alvo do hash 

É um número de 256 bits que grande parte dos investidores de Bitcoin compartilham.

Neste caso, quanto mais baixo o alvo do hash , mais difícil será para gerar um bloco.

Criar muitas hashes não irá ajudar a encontrar mais blocos, pois cada um deles possui um número aleatório entre 0 e o valor máximo de 256 bits.

Caso a taxa de hash esteja abaixo do alvo, há ganhos. No entanto, em caso contrário, é necessário aumentar o nonce – variação de uma pequena porção dos cabeçalhos dos blocos.

Feito isso, a sugestão é tentar novamente.

O alvo é alterado a cada 2016 blocos para dificultar o trabalho de mineração. A variação do nonce é imprevisível.

Quantos mais zeros tiver o código da função hash, maiores serão as chances de se obter uma taxa de hash específica e mais próxima do seu objetivo.

O minerador deve variar o nonce, para conseguir criar um bloco com alvo relacionado mais próximo do hash pretendido.

Outra variável importante de se considerar: o número de tentativas por segundo é denominado de hash rate.

Essas apostas são realizadas por mineradores de moedas digitais, que além do Bitcoin, utilizam também o protocolo Proof-of-Work.

Outra aplicação da função

Um dos algoritmos mais utilizados, na rede de Bitcoins, é o SHA256.

Ele é utilizado em vários casos, mas o principal se refere à sua capacidade de conceder equilíbrio entre segurança e complexidade de geração, quando se remete  a tempo e gasto de energia.

Hash para criar endereços

A função hash SHA256 é muito utilizada na geração de endereços. A partir desta função, é possível gerar caracteres de controle (soma de verificação).

Taxa de hash registra alta histórica

No início deste ano, houve uma alta considerável na taxa de hash, computando a casa de oito vezes mais hashes do que em 2017, quando  o Bitcoin alcançou US $ 20 mil.

Este número é 100 vezes maior que a taxa antes da última alta, em 2017.

Os indicadores acima mostram que rede de Bitcoins decolou nos últimos anos.

Para se ter ideia, em 1 de janeiro tivemos uma taxa recorde, 119 milhões de baht/segundo.

A adoção a este sistema e o possível potencial de lucro com blocos, direcionaram os mineradores para a rede.

As taxas altas da taxa são bem vindas, pois quanto mais forte o poder de computação usado na mineração, maiores serão as dificuldades para uma rede ser invadida.

O hash, portanto, é um super importante para rede de Bitcoins, pois é um indicador que mede a real funcionalidade da moeda e, além disso, é possível conseguir bons lucros e privacidade através da taxa de hash.

Quer saber mais? Entre em contato com nossos consultores e venha desbravar, conosco, o mundo das criptomoedas!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: