Covid-19: como a pandemia afeta no mercado cripto?

A pandemia de COVID-19 faz com que o Bitcoin se destaque em meio ao caos

Com a crise e o fechamento de estabelecimentos, o pensamento lógico é presumir um déficit fiscal, e sabemos que a economia reflete em muito as inseguranças dos investidores. Neste momento, já é possível sentir alguns impactos no nosso PIB.

O presidente da República, Jair Bolsonaro, afirmou em uma coletiva de imprensa, no dia 20 de março, que estaríamos vivendo um período de “histeria”, pois a pandemia do novo Coronavírus não seria mais do que uma “gripezinha”.

O discurso, que se mostrou contrário às atitudes tomadas pelos demais governantes, sobretudo aqueles que decidiram por fechar as portas de escolas e comércios, repercutiu negativamente em escala global. Para ele, é necessário fazer o isolamento vertical: medida que isola somente as pessoas que estão no grupo de risco – dentre elas, idosos, na faixa etária de 60 anos ou mais, desconsiderando que o vírus pode ser transportado por agregados fora deste grupo, para dentro dos ambientes.

A partir das declarações controversas do presidente, nos veio à tona a seguinte reflexão:

Será que salvar a economia é mais importante do que salvar vidas?


Durante esta crise é possível observar que além das consequências econômicas, temos um grande problema em relação às questões políticas, sociais e demográficas. 


Medidas como a quarentena, que ajudam na diminuição da circulação de pessoas, evitando assim a propagação do vírus são, na verdade, a escolha ideal, uma vez que a manutenção de leitos, e a receita destinada a serviços de saúde pública, de acordo com as estatísticas, não supririam a demanda de pessoas em estado grave.


Mesmo sendo vista como extrema, a quarentena é uma medida que engloba diversas soluções de problemas, sejam eles econômicos, políticos, sociais ou demográficos. É algo que dispensa uma grande reflexão para concluir o óbvio: uma nação adoecida é menos ativa economicamente do que apenas isolada.

Participação dos EUA em meio à pandemia de Covid-19

Basta pegarmos por base os países que possuem as maiores economias mundiais, como, por exemplo, EUA e China que deram uma injeção de liquidez no mercado, assim como o Brasil, por lá os usuários já buscam, no momento, ativos de segurança; os bancos centrais desses países irão colocar em circulação mais unidades das suas moedas, para fazer com que empresas e estabelecimentos consigam sobreviver.

Um dos motivos que fizeram com que as bolsas de valores despencassem, foi a possibilidade de extensão do vírus no mundo todo; desde que a OMS declarou a pandemia do COVID-19, muitos investidores decidiram recorrer a outros tipos de investimentos, como uma forma de se preparar para o período de reclusão e de baixa atividade econômica que enfrentaremos nos próximos meses.

Se você pensa que a crise foi gerada na semana dos circuits breakers, na verdade, o pior será ainda aquilo que está por vir: é possível afirmar que o Bitcoin tem conquistado um grande espaço em meio ao caos.

Não desista do Bitcoin

Definitivamente, as criptomoedas são aquilo que o mundo precisa em 2020, sobretudo em face à pandemia do Covid-19. Isso porque trata-se de um mercado que funciona 24 horas por dia, 7 dias por semana, ininterruptamente. O preço dos ativos é sempre definido de acordo com a lei de oferta e demanda, e o motivo da procura por Bitcoin e outras criptomoedas ainda não ter sido exponencialmente alta, se dá ao fato de que realizar transações financeiras para adquirir algo do cotidiano, mostra-se limitado a um número pequeno de opções.

Não se surpreenda se o ativo conseguir alcançar novos recordes de cotação em breve, apesar de que já tem se mantido em uma boa média. Quando estamos falando de valores da criptomoeda, o Bitcoin possui um papel importantíssimo nesse cenário, haja visto que a prerrogativa dele é ser um meio de pagamento ágil, sem intermediários.

Pode ser validado como um ativo, mas que não é medido somente pelo seu preço, com a injeção de liquidez na economia, é capaz que as moedas fiduciárias percam o poder de compra, o que nunca ocorrerá com o Bitcoin já que possui um lastro em criptografia.

Todos os grandes centros de pesquisa no mundo, para a elaboração vacinas e medicamentos, precisam ser financiados através de transações financeiras. Quando descobrirem a cura, será necessário abastecê-los de alguma forma com recursos e transações monetárias, seja para distribuição ou produção em larga escala da solução criada.

O nosso conteúdo ajudou você a entender a importância do Bitcoin em meio a pandemia do Covid-19? Continue acompanhando os nossos conteúdos! 

Ficou alguma dúvida? Estamos disponíveis para te ajudar!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: