Aplique com a E-Price e fuja da crise do COVID-19

Diante dos recentes acontecimentos é possível afirmar que o bitcoin ainda é um ativo de refúgio?

Quarentena decretada, comércio fechado e economia parada…

Nas últimas semanas, desde quando o governador de São Paulo, João Dória fez o comunicado a população sobre o período de quarentena, muitas questões têm sido discutidas como, por exemplo, o que seria mais importante no momento, fazer o isolamento social priorizando vidas ou encerrá-lo, abrindo as portas para que a economia consiga prosperar? No dia 12 março que ficou conhecido como a “quinta-feira negra”, a criptomoeda caiu abaixo dos US$ 4 mil, atingindo a maior queda anual.

Mas uma pergunta que não quer calar é: o Bitcoin ainda é um ativo de refúgio? 

Leia o tópico a seguir e entenda!

O Bitcoin é um ativo de refúgio?

Em agosto de 2019  muitos especialistas disseram que o Bitcoin se tornou um ativo de refúgio, baseado numa relação correlativa,pois, desde quando a moeda surgiu, em 2009, o mercado ainda não havia passado por nenhum período semelhante ao que estamos vivendo hoje.

A crise instalada por conta do Coronavírus é o primeiro teste de fogo para saber se o Bitcoin pode ser de fato utilizado como um ativo de refúgio, ou se a criptomoeda ainda precisa preencher alguns pré-requisitos para possuir tal denominação; até o exato momento, a resposta é não, mas há boas perspectivas para que este status seja alterado, já num futuro próximo; esse tipo de aplicação geralmente são utilizadas por usuários para suportar as complicações de mercado, ou seja, aumentam o valor quando o mercado está volátil. Os títulos do tesouro, são um exemplo disso, com exceção de alguns governos, casos de Argentina e Venezuela que são lastreados através de um crédito concedido pelo governo; por isso o investimento em títulos pode ser considerado uma das opções mais seguras do mundo.

Com base no gráfico acima, pode-se notar que os títulos de 10 anos do governo norte-americano sofreram quedas consideráveis no mês de março. Isto porque houve um aumento considerável da demanda por eles (aumento da incerteza), assim como as reduções nas taxas de juros promovidas pelo FED. Nos momentos agudos da crise do COVID-19 houve uma busca por refúgio nos títulos norte-americanos; contudo percebemos o mesmo no Bitcoin, pela rápida recuperação do valor do ativo

Por que o valor do Bitcoin caiu?

Uma das razões da queda do valor do Bitcoin pode ter sido a procura por investimentos mais tradicionais, ou até mesmo a falta de conhecimento sobre como funciona a criptomoeda; com a crise ocasionada pela pandemia, houve um alto índice de desempregos; os governos tornam o dinheiro mais rápido e disponível para todos através de políticas monetárias e fiscais, onde o  Bitcoin pode funcionar como uma espécie de “proteção” para economias mais fracas.

A importância dos cortes de taxas do FED

Quando o mercado passa por um “stress”, muitos usuários esperam que o FED (Federal Reserve Departament) “salve” o dia; o órgão norte-americano é capaz de tomar de decisões que podem impactar na economia, uma medida tomada recentemente, e que gerou uma movimentação no mercado foi o corte das taxas de juros.Ter mais dinheiro no bolso não significa necessariamente que os consumidores irão comprar, provocando uma diminução de lucro no comércio, uma vez que muitos produtos não estão sendo fornecidos; 

O que vai acontecer com o Bitcoin?

Até a economia voltar  a se estabilizar e depois se aquecer, é possível se pensar em alguns cenários futuros para o Bitcoin, dentre eles estão:

  • O fato de que os ativos de refúgio, casos do ouro e dos títulos do tesouro norte-americano, estão ficando cada vez mais “caros”, por conta da diminuição das incertezas em alguns países da Europa, casos de Itália e Espanha, uma vez que a curva do número de mortos está achatando, aumentando as chances de a economia voltar ao normal rapidamente;
  • A procura por ativos mais baratos passam a ser maior por conta dos investidores Com essa desvalorização, o Bitcoin pode se beneficiar com o “rombo” excessivo do mercado de títulos;

Além de tudo isso, é necessário saber que o Halving do Bitcoin está próximo, então se recorrermos a dados históricos de eventos anteriores é possível destacar que a moeda terá um bom impulsionamento, um outro grande motivo para se apostar agora, é que nos últimos 4 anos, abril se mostrou um mês interessante para  quem quer investir; em 2016, neste mesmo mês, a criptomoeda valorizou 9%, no ano seguinte chegou a uma valorização de 23%, em 2018 chegou a atingir a alta de 34%, e por fim, em 2019, atingiu a máxima de 27%, o que nos dá esperança para que este fato se repita, mesmo em meio a pandemia. 

Então, está esperando o que para aplicar com a nossa assessoria? Nossos consultores estão disponíveis para atendê-los, afinal, o tempo é o nosso melhor ativo!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: