Hackers perdem lucros com a crise da COVID-19

A empresa norte-americana de inteligência em blockchain Chainalysis, especializada em dados do mundo cripto, divulgou um relatório que mostra que os cibercriminosos estão ganhando menos do que esperavam, a análise ainda aponta que houve queda de 33% na receita de Bitcoin. Para se ter ideia, o valor das fraudes semanais com as criptomoedas, passou de US$4,2 milhões para cerca de US$ 2,9 milhões. Com o declínio do valor do Bitcoin no início da pandemia, os criminosos foram obrigados a vender os seus lucros.

Pandemia estimula as fraudes

Durante o mês de abril, tanto o governo norte-americano como também o britânico  divulgaram uma lista com a relação de 2.500 sites possivelmente ilegais, que eram utilizados por criminosos digitais para se aproveitar do momento de pânico da população, para aplicar golpes, com a venda de supostos remédios para o combate ao vírus, onde faziam propostas com o Bitcoin.

A Microsoft fez um post nas redes sociais, no qual vinculou boas notícias em relação aos crimes na internet; especialistas em TI descobriram que mais de 60.000 e-mails que aparecem no corpo do texto ou anexo, contém informações falsas relacionadas ao vírus. A empresa multinacional monitora de perto os crimes cibernéticos, uma vez que os golpistas se aproveitam da pandemia, para tentar convencer os usuários a enviar dinheiro. Um dos casos mais comuns é pedir bitcoins as vítimas, prometendo realizar falsas doações para entidades carentes, onde há promessas de ajuda no combate à pandemia. Há também a hipótese do criminoso falar que tem a doença e vai espalhar para família do usuário caso não envie Bitcoin.

Outro fator muito comum, nos crimes cibernéticos, é o hacker prometer o envio de máscaras, em troca de Bitcoin. Em todos esses casos, o objetivo é sempre encontrar uma maneira de conseguir persuadir o usuário a doar as criptomoedas. Conseguiu entender como os criminosos agem? Fique atento e não caia em golpes! Veja como isso impacta também no esquema de pirâmides financeiras no nosso próximo artigo cripto.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: