Experience Day 20/12/2019

Na sexta-feira 20/12/2019 foi realizada pela E-Price Capital, o primeiro Experience Day. O evento ocorreu na sede da empresa, na zona sul de São Paulo.

O evento contou com a presença do CEO da empresa, Pablo Borges, que ministrou uma palestra a respeito do mercado de bitcoins e também de como se planejar financeiramente para o ano de 2.020, quando acontece o próximo halving.

Confira as imagens abaixo:

Créditos: Fredy Uehara / Uehara Fotografia
@ueharafotoevideo

Conheça a importância da Arbitragem para o mercado de bitcoins

O mercado financeiro possui algumas perspectivas e fazer uma boa Arbitragem de bitcoins é importante para se obter sucesso nos negócios.

No post anterior falamos de Copa do Mundo , agora neste iremos discutir a Arbitragem você deve estar pensando aí, este é um blog de futebol ou de finanças?


Calma…. primeiramente é possível afirmar que essa Arbitragem não tem nada a ver com juiz, torcida ou times de futebol. Leia o nosso artigo e dê um cartão vermelho nas suas dúvidas!

Mas afinal, o que é a Arbitragem de bitcoins?

Algumas empresas especializadas em compra e venda(trade) investem em robôs com algoritmos onde há uma Arbitragem automatizada, ou seja, neste caso há a divisão de lucro com o investidor.

Então, Arbitragem nada mais é do que comprar e vender bitcoins por um preço mais alto em outro lugar.

As casas de câmbio, por exemplo, possuem uma diferença de valores entre elas, apesar de a moeda possuir um preço médio, não será igual em todos os lugares.

Então, a grande sacada está em se beneficiar da diferença de valores.

Quais os cuidados tomar com a Arbitragem de bitcoins?

Antes de mais nada é preciso se atentar a alguns fatores de Arbitragem, dentre eles estão:

Taxas
Tudo tem o seu valor, e principalmente em casa de câmbios há muitas taxas, por exemplo, os saques possuem valores muito altos, porque é possível investir com uma empresa, mas para tirar este dinheiro de lá é necessário pagar uma taxa da blockchain.

Portanto, tenha muito CUIDADO com as taxas das casas de câmbio! A Bitmex é uma das exchanges mais recomendadas para se fazer arbitragem.

Tempo
Em muitos casos, as transações podem demorar para serem finalizadas.

Atualmente, a média está em torno de 15 minutos.

Ou seja, caso transfira o seu bitcoin para uma outra casa de câmbio haverá aproximadamente 10 minutos para a diferença de preço ser mantida, gerando lucros.

O Coin Trader Monitor é uma boa ferramenta pelo fato de calcular em tempo real a média sobre a diferença dos preços entre as casas de câmbio brasileiras.Além disso, há uma estimativa para fazer com que se obtenha lucros, otimizando o tempo de investimento.


Quais as melhores estratégias de Arbitragem?

Quer saber quais são as melhores estratégias para conseguir lucros expressivos? Siga as nossas dicas a seguir:

Uma Arbitragem simples que envolve uma criptomoeda, pode ser feita da seguinte forma:

Exemplo:

Maurício investiu 14 mil reais em uma assessoria X e na assessoria Y, 15 mil reais. Com base neste exemplo será gerado um Spread que nada mais é do que a média entre o preço da compra + o preço da venda dividido pelo preço

O resultado da média deste Spread será algo em torno de 7,14% e como é sempre positivo, há a indicação de que a operação irá render algum lucro.

Já para os investidores, fazer o trade dos bitcoins é algo mais simples de ser feito, pois com isso há a possibilidade de se obter ganhos em operações com foco em variações de preços de uma mesma criptomoeda.

O Swing Trade é uma boa estratégia pelo fato de que trata- se de uma operação de compra de um ativo em uma plataforma com objetivo de obter um lucro antes de um mês de se encerrar a ação.

Como funcionam os bots de Arbitragem?

Estes robôs de Arbitragem são um conjunto de regras que fazem as negociações sem necessitar de uma ação humana.

Caso o investidor queira uma estratégia que traga resultados rapidamente, ele pode se consultar através deste robô sem precisar quebrar a cabeça.

Uma boa estratégia para um robô pode ser definida considerando os seguintes quesitos:

1. Pensar na importância de um bom gerenciamento de risco
2. Definir qual a criptomoeda que irá investir
3. Qual o valor será investido, pois a variação no mercado pode prejudicar os investimentos

Para construí-los, é necessário que se consulte dados sobre os preços através das APIS das principais exchanges, além disso identifique TODOS os dados.

Que podem ajudar na execução de uma boa Arbitragem.

As estratégias de negociação devem ser automatizadas para diminuir o tempo médio de saída. Por último, é importante lembrar também que deve- se incluir o maior número de exchanges para aumentar as variações.

A partir de todas estas contestações podemos dizer que há 2 tipos de arbitragem:

Uma delas é a Arbitragem feita a partir de robôs, que buscam fazer uma comparação entre a diferença de preços, tendo por objetivo realizar o trade(processo de compra e venda de maneira automática), onde eles são responsáveis por operarem o dia inteiro, buscando essas oscilações de preço.

O segundo tipo de arbitragem é atribuído ao modo manual, uma vez o próprio investidor irá verificar onde está as oscilações, onde que está mais barato para comprar e onde que está mais caro para vender a mesma moeda.

Porém a pergunta que não quer calar: Arbitragem é confiável e segura?

Afinal, A Arbitragem está para ajudar você em todo o processo de compra e venda, portanto podemos dizer que todo este processo quando bem feito pode ajudá-lo a conseguir bons resultados.

A partir deste conteúdo, conseguiu descobrir que arbitragem não é somente no futebol? Já pensou em fazer Arbitragem? Deixe o seu feedback e continue acompanhando os nossos conteúdos.

Entenda como funciona a Copa do Mundo dos bitcoins

Em maio de 2.020 acontecerá a próxima ‘’Copa do Mundo dos bitcoins” que é realizada de 4 em 4 anos.

Afim de estimular os mineradores  a continuarem com o processo, Satoshi Nakamoto criou uma espécie de recompensa, onde a cada dez minutos é emitido um bloco contendo as últimas transações dos bitcoins .

Além disso, o “criador” impôs um limite máximo de 21 milhões de bitcoins a serem minerados, entretanto, somente o número de moedas não eram suficientes, pois foi determinado que 210 mil blocos seriam produzidos durante um ciclo de 4 em 4 anos.

A quantidade de moedas criadas seriam reduzidas automaticamente pela metade, e foi justamente esta queda na produção que ficou conhecida como Halving.

Em 2.009, quando o bitcoin foi criado, foram minerados aproximadamente 50 moedas, número que foi previamente definido para os primeiros 210 mil blocos de bitcoins.

Já em 2.012, após o primeiro Halving, foram produzidas apenas 25 moedas aumentando a escassez.

Em 2.016 ocorreu o segundo Halving do bitcoin, diminuindo a produção para 12,5 bitcoins por bloco pelos próximos 4 anos.

O ano de 2.019 foi a última oportunidade para os mineradores comprarem um bitcoin inteiro, pois a partir do ano que vem será possível comprar apenas as frações da moeda.

A previsão é que para 2.021 o ativo não seja mais tão acessível. O próximo está programado para maio de 2.020 e a expectativa é que chegue a 6,5 moedas produzidas.

Porque o bitcoin precisa do Halving?

Normalmente a mineração ocorre porque os bitcoins são equacionados e a oferta é ilimitada, pois somente saberemos aproximadamente quantos BTC serão produzidos daqui a 3 ou 4 anos, diferente das moedas fiduciárias, como o dólar, real ou o peso.

O Halving serve justamente para cortar essa emissão desenfreada, provocando aquilo que chamamos de deflação na moeda.

Mas, qual o efeito da deflação?

Há um efeito muito bom na oferta, pois o preço da criptomoeda está em constante evolução, então se compararmos com os valores do BTC em 2.009 e 2.015, temos uma notável alta nestes preços.

A valorização vem crescendo durante os Halvings, o que fortalece a emissão de mais blocos e consequentemente fortalece a rede de negócios.

Como o Halving afeta o bitcoin?

Pode-se dizer que as reais expectativas para o crescimento do bitcoin podem estar relacionadas a psicologia comportamental humana, no entanto, mesmo que a taxa de crescimento após o corte pela metade aconteça, sua natureza se torna extremamente artificial.

Os mineradores  estão motivados a deixar o bitcoin em um nível alto, pois a renda deles depende disso. Não há nenhuma razão objetiva, com isso não haverá novos investidores, nem déficit.

A partir dos tópicos apresentados acima, é possível concluir que o halving é muito importante para o mercado de bitcoins, por diversos fatores, onde após o encerramento de um ciclo, mineradores esperam ansiosamente pelo próximo.

E aí, já sabe como funciona Halving? Deixe a sua opinião e continue acompanhando os nossos conteúdos.


Mineração de bitcoins: entenda como funciona o processo

Você já sabe o que é mineração? Neste artigo iremos ensinar um pouco mais sobre este conceito.

descubra como fazer a mineração de bitcoins

A mineração de bitcoins foi criada por Satoshi Nakamoto a partir da criação de uma moeda descentralizada, o bitcoin  com o objetivo de tornar a rede um pouco mais sustentável.

Para que funcione, é necessário que os computadores estejam disponíveis 24 horas por dia para realizarem a confirmação e a audição das transações da moeda.

Porém, uma boa recompensa em bitcoins com certeza manteria o investidor conectado, pois uma experiência negativa poderia fazer com que ele não chegue até o final do processo.

Entretanto, qual o motivo para se investir em equipamentos de energia para se tornar um minerador?

Há alguns incentivos econômicos que auxiliam em todo o processo, dentre eles estão as taxas que os usuários pagam para que as transações sejam confirmadas.

Quais os incentivos da mineração?

 Estes incentivos podem ser apresentados de 2 formas:

  • Através das taxas que são pagas para realizar cada transação, afim de que sejam confirmadas. Atualmente, as taxas que são pagas por cada transação são pequenas, algo em torno de 0,001 bitcoin, dado que o volume de transações pode ou não ser alto, onde a cada dez minutos devem ser entregues aproximadamente 0,2 bitcoins em taxas aos mineradores;
  • A geração de novos bitcoins ao longo do tempo, correspondem a atualmente 25% novas criptomoedas que entram globalmente no sistema a cada 10 minutos aproximadamente, quando são entregues aos mineradores que efetivamente contribuíram para adicionar ao registro público de transações;

Quais os tipos de mineração?

Há 4 tipos de mineração que podem gerar um bom engajamento, conforme mostraremos a seguir:

  1. Mineração na nuvem

Há algumas dificuldades para realizar este tipo de mineração, pelo fato de que a tendência é que a longo prazo se aumente a dificuldade, pois se tivermos uma grande quantidade de mineradores, vai chegar um momento  que não vai ter  mais como minerar, pelo fato de que todas as moedas já podem ter sido encontradas na rede, e a tendência é que essa dificuldade aumente cada vez , pois são necessárias máquinas mais potentes , ou seja, as antigas  acabam por ter mais gastos, com isso os ganhos são diminuídos.

Sendo assim, os empreendedores vão precisar comprar mais velocidade para que possam minerar, trazendo mais risco, gastos maiores e ganhos menores.

Outro ponto que podemos ressaltar é ter atenção antes de investir em algum site, pois ele pode acabar, ou seja, as pessoas que o criaram podem pegar o dinheiro e simplesmente abandonar.

Alguns especialistas atribuem isso a ataques de hackers, equipamentos ultrapassados. O dinheiro é investido e em alguns casos não há muito o que se fazer, por se tratar de sites internacionais.

Portanto, é possível concluir que não vale a pena se investir muito no serviço, pois todas as informações podem vazar, com isso podemos concluir que trata- se de algo muito arriscado.

2. Mineração por GPU

Com este tipo de mineração é muito fácil para se obter resultados, sendo a mais indicada para essa modalidade o Ethereum e Altcoins.

Se fizermos uma comparação com a mineração de CPU, é possível que o processo ocorra de forma mais rápida, mas com o risco de consumir muito mais energia e eletricidade.

Portanto, em termos de velocidade podemos concluir que a mineração por GPU pode ser muito boa, porém em questão de risco, podemos dizer que não se pode confiar neste sistema.

3. Mineração por CPU

Fazer este tipo de mineração não é muito recomendável, pelo fato de que há uma concorrência entre os ASICS (ambientes de programação).

Ao realizar este tipo de mineração, você consegue ver quantos hashes (recompensa para provas) os núcleos dos computadores atingiram.

Há alguns sites especializados que fazem o cálculo das rentabilidades da promoção.  As moedas não possuem muita usabilidade, então não é recomendável realizar este tipo de atividade.

4. Mineração profissional

Muito comum ser realizado por data centers.

Alguns países, como por exemplo, os EUA tem se tornado centros populares para a mineração de bitcoin. Para este tipo de atividade, há três fatores que podem ser considerados:

  • O clima
  • O custo da energia
  • A posição do bitcoin na rede

Agora que já sabe o que é mineração, para que serve e quais os tipos mais comuns, é possível afirmar que todo este processo pode ser definido como a raíz dos bitcoins, onde todas as moedas quando mineradas passam pelo blockchain e outros. 

Os incentivos são muito bons, porém dependendo do tipo de atividade realizada, isso pode causar prejuízos ao minerador.

Deixe o seu comentário e continue acompanhando os nossos conteúdos.


O que é o blockchain?

O mercado de criptomoedas possui várias linhas, uma delas é uma rede de blocos que conecta milhares de pessoas simultaneamente.

O que é o blockchain?

O mercado de criptomoedas possui várias linhas, uma delas é uma rede de blocos que conecta milhares de pessoas simultaneamente.

O termo Blockchain está  ligado ao conceito de uma rede de computadores. Toda as transações realizadas são agrupadas com os demais blocos, onde cada um destes ficam conectados ao anterior, originando uma grande cadeia.

Muitos usuários pensam que bitcoin e blockchain são termos que fazem as mesmas referências, porém é possível dizer que as criptomoedas estão inseridas dentro de uma grande cadeia que é o blockchain.

A partir dessa definição acima, podemos concluir que esta rede é nada mais que uma estrutura de dados que simboliza a entrada de uma contabilidade financeira, onde cada uma destas transações é firmada para garantir que não ocorra nenhum tipo de fraude, garantindo o sigilo dos dados.

Como funciona?

Um usuário A decide mandar dinheiro para o B, a partir dessa transação é feito um broadcast para se comunicar com outros computadores da rede.

Este processo ocorre em uma plataforma com vários computadores, com isso é necessário ter vários clientes que saibam interpretar o algoritmo, ou seja, cada bloco é ligado a um anterior através de um elo, que é denominado de hash.

Os responsáveis por fazer a montagem do blockchain são denominados como mineradores.

O principal trabalho do minerador é calcular o hash para fazer a ligação entre os blocos. Como os cálculos envolvem são bem altos, há também um custo computacional considerável.

O Blockchain é seguro?

Toda a transação feita com o blockchain só deve ser validada a partir do momento em que todo o bloco é preenchido com transações, com isso é possível fazer com que a moeda digital saia das mãos de um usuário e chegue até outro.

Todos possuem criptografia, fazendo com que seja muito difícil de que os segredos sejam descobertos e que cada moeda chegue ao seu destino de origem, ou seja, quando usada apenas uma única vez, as transações anteriores não são alteradas.

Como isso impacta nos negócios?

Devemos sempre olhar para alguns impactos, sendo o primeiro aquilo que chamamos de redução de custo, então quando no blockchain temos um registro eletrônico, existe uma estrutura de consenso que acaba eliminando os elos dentro da cadeia de valor.

Portanto, a velocidade com que vai haver a troca de dinheiro entre as empresas irá aumentar.

Além disso, é possível dizer que reduzir o risco aumenta a confiabilidade, pois quando há uma relação entre trocas de ativos boa, a rede com um todo acaba se tornando mais eficiente, sendo assim é possível dizer que um grupo irá causar estrago na concorrência.

Em relação a esta eficiência, temos como exemplo a bolsa de Tókio que efetua a liquidação de ações, diferentemente do que ocorre no Brasil onde uma ação leva cerca de 3 dias para ser registrada.

Durante este período o dinheiro fica parado, já no Japão, o registro é feito em 2 horas.

Como o blockchain é visto no exterior?

Na Europa e nos EUA, a tecnologia já está mais difundida e já existem projetos sofisticados que foram implementados, inclusive em empresas multinacionais.

E grandes corporações já estão em um nível mais avançado de discussão, porém, aqui no Brasil ainda tem muita coisa para ser desenvolvida, mas podemos perceber que tudo está muito bem encaminhado, onde a tecnologia ainda precisa ser sentida.

Mas tudo isso irá ocorrer em um período a curto prazo, pois o mercado está sempre em constante oscilação.

A partir dos tópicos apresentados acima, podemos concluir que o blockchain faz parte de todo um processo para o investimento em bitcoins, um meio confiável e que tem grande impacto nos negócios, principalmente no business de grande potências mundiais como EUA, Rússia e Japão.

Entendeu como funciona o blockchain? Deixe o seu comentário abaixo e continue acompanhando os nossos conteúdos.

Bitcoins: saiba mais sobre o mercado de moedas digitais

Neste artigo iremos falar sobre a moeda digital do momento. Porém, você já sabe o que é bitcoin?

Bitcoin nada mais é do que a primeira moeda descentralizada do mundo, que não necessita ser emitida por nenhum órgão governamental, o que significa que você pode investir através de uma rede.

A criptomoeda tem a função de fazer um pagamento de bens ou de serviços, porém ainda não é muito utilizada em alguns países.

Como surgiu o bitcoin?

Até hoje, não há nenhum registro oficial sobre quem criou e porque foi criado.

O que se sabe é que em 2.008, um senhor desconhecido com o pseudônimo de Satoshi Nakamoto que publicou um whitepaper sobre uma criptomoeda que possui um sistema de pagamento online, onde por último é gerado um protocolo de código aberto, independente de qualquer autoridade centralizada.

 O bitcoin é seguro?

A moeda possui um protocolo muito seguro de criptografia, que garante não só a confiabilidade, como também uma maior velocidade e principalmente autenticidade.

A validação é feita por NODES que são vários contadores e dispositivos que estão todos conectados a mesma rede.

Quando ocorre uma transação, há um envio de informações, que são validadas a partir destes NODES que são espalhados por mais de 10.000 pessoas no mundo inteiro.

Esta rede onde as transações são validadas são chamadas de blockchain , que são blocos, onde a cada 10 minutos são inseridas novas solicitações dentro que são validadas pelos NODES.

Caso algum usuário queira resgatar os dados, é necessário fazer uma nova apuração de informações a partir de um bloco de origem e realizar as alterações em menos de 10 minutos.

Dentre os principais riscos dos bitcoins está a sua vulnerabilidade quando comparamos a outros investimentos, com isso é possível dizer que muitos usuários já perderam como também ganharam com os investimentos.

A matemática pode ser considerada uma forte aliada, já que possui um sistema de criptografia muito forte de 256 bits, que gera uma senha de até 78 caracteres, isso garante que não ocorra super inflações, já que neste caso serão geradas no máximo 21.000 unidades de bitcoins.

Pode-se dizer então que há segurança, confiabilidade, criptografia e a facilidade de não passar por hiperinflações que passam uma credibilidade para se investir na moeda digital.

Como utilizar o bitcoin?

A seguir, seguem algumas dicas de como aproveitar melhor os seus bitcoins:

  • Informe-se, pois se refere a um modelo de transações diferente das demais. Consulte um especialista e veja qual a melhor forma de investir antes de começar a fazer um novo negócio;
  • Defina uma carteira: após estar informado sobre as reais consequências de um investimento equivocado, pense bem em qual carteira escolher, pois estão disponíveis em todos os sistemas operacionais;
  • Ao adquirir novos bitcoins, aceite-o como um serviço para pagamentos e regalias;
  • O pagamento, pode ser feito para qualquer estabelecimento que aceite a moeda, porém, hoje muitos estabelecimentos e empresas do ramo de incorporadoras, construtoras já recebem em criptomoedas;

Com isso, podemos concluir que os bitcoins são moedas seguras e que são boas para um investimento não só a longo prazo, mas dependendo do tipo de negócio, pode também ser benéfico a curto prazo.

Porque utilizar os serviços da E-Price?

Somos uma assessoria especializada em Bitcoins, com know how no mercado desde 2015. Através da nossa plataforma você consegue acompanhar todos os seus rendimentos e ter acesso a algumas informações como: para qual carteira o dinheiro vai, como está a oscilação das suas aplicações e etc.

Tudo isso prezando pela segurança do seu investimento!

Entre em contato conosco (eprice.capital) e saiba mais sobre os nossos serviços.

Além disso, é importante saber onde e como investir, pois há muitos golpes de corretoras na internet, então antes de vender, comprar ou até mesmo fazer parcerias, entenda bem a sua situação e quais os impactos disso.

Multiplique o seu patrimônio e subtraía as suas dívidas!

O nosso conteúdo ajudou você a entender um pouco mais sobre bitcoins? Deixe o seu comentário abaixo e acompanhe todas as novidades em nosso blog!